Saúde

Saúde

Nova manutenção da Saúde já recuperou R$ 2 milhões em equipamentos

Mais de R$ 1,7 milhão em aparelhos ainda esperam por uma solução

Publicado em: 11/10/2017

Saúde

Nova manutenção da Saúde já recuperou R$ 2 milhões em equipamentos

Com a troca do fornecedor de manutenção, saltaram de 5 para 20 o número de leitos da UTI de adultos, e de 4 para 10 os leitos da UTI infantil.

Eram 127 aparelhos caros, indispensáveis a setores vitais da Saúde de Imperatriz, muitos deles dos centros cirúrgicos e das unidades de terapia intensiva, canibalizados, jogados pelos depósitos e dados como definitivamente imprestáveis. Desses, 112 já foram recuperados e voltaram a funcionar, devolvendo ao Município patrimônio de cerca de R$ 2 milhões e possibilitando um salto de 5 para 20 o número de leitos de UTIs de adultos e de 4 para 10 os leitos de UTI infantil.

Ainda esperam por recuperação outros 15 equipamentos, de cerca de R$ 1,7 milhão, que aguardam peças e mais estudos técnicos para que sejam restabelecidos e reincorporados às diversas unidades da Saúde, inclusive do Centro de Controle de Zoonozes. O secretário da Saúde, Alair Firmiano, disse que “era uma verdadeira tragédia” o modelo de manutenção que há anos se instalara junto aos equipamentos do Hospital Municipal, do Socorrinho, das unidades dos bairros e povoados, e da zoonoses. “Uma empresa sem a mínima capacidade técnica simplesmente ia encostando tudo aquilo que apresentasse qualquer defeito. Tudo virava sucata. Era um falso barato que saía muito caro, inclusive comprometendo seriamente a capacidade do HMI de dar respostas efetivas a situações de risco de morte” - afirmou.

Dentre os equipamentos caros que estavam sucateados, existiam dois arcos cirúrgicos da GE, um carro de anestesia Oxiel, um monitor Bionet, duas bombas de infusão Optma e duas Fresenius, respirador portátil de emergência Vent Logos, mesa cirúrgica e uma auto clave Santa Luzia. Os 21 leitos de UTI restabelecidos, significam 630 diárias de unidades de terapia intensiva por mês que a Prefeitura deixa de ir buscar na rede privada, quando era obrigada, por lei, a contratar esse tipo de suporte. “Passamos a salvar muito mais vidas e fazer uma economia de muitos milhões de reais, otimizando o dinheiro público, como determina insistentemente o prefeito Assis Ramos” – destaca Alair Firmiano.

Além do retorno dos equipamentos recuperados, Firmiano lembra que a Prefeitura já incorporou ao Socorrão, ao Socorrinho e às unidades dos bairros e dos povoados mais de R$ 620 mil de instrumental novo, gasometria e mais dois aparelhos de raio x que estão sendo descarregados no HMI. Mais oito furadeiras novas, oito aspiradores, um oxímetro, dez cadeiras da sala de observação e 50 nebulizadores, “tudo novo, dando muito mais resolutividade ao nosso sistema” – destaca o secretário da Saúde.

Saúde

Apaixone-se por Imperatriz