Preservação

MEIO AMBIENTE

Encontro aborda parceria para construção do aterro sanitário de Imperatriz

Local garantirá confinamento dos resíduos sem inconvenientes das descargas a céu aberto

Publicado em: 09/01/2019 por Léo Costa

Secretaria do Meio Ambiente

Encontro aborda parceria para construção do aterro sanitário de Imperatriz

Reunião entre representantes da Semmarh e Suzano para tratar demandas sobre o aterro sanitário. (Foto: Léo Costa)

Com objetivo de agilizar o projeto de implantação do aterro sanitário e resíduos sólidos de Imperatriz a equipe técnica da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semmarh, se reuniu na manhã desta quarta-feira, 9, com a gerência de Meio Ambiente da Suzano Papel e Celulose. Encontro foi realizado na sede da pasta, Rua Rafael de Almeida Ribeiro, 600, São Salvador.

“Estamos avaliando qual será a participação da Suzano na implantação do aterro sanitário. O que podemos antecipar é que queremos cooperar na parte técnica que envolve os processos de licenciamento e engenharia. É de interesse da empresa em participar da construção de um aterro sanitário dentro da legislação, como é o caso desse que será implantado em Imperatriz”, enfatizou Hamilton Fernando Zanola, gerente de Meio Ambiente da Suzano.

Projeto vai garantir um confinamento dos resíduos e evitar os inconvenientes das descargas a céu aberto, tais como, degradação da área, emanação de odores, proliferação de vetores transmissores de doenças, poluição do ar, do solo, das águas superficiais e subterrâneas.

“O aterro sanitário será um passo significativo na redução do volume de resíduos, preservação do meio ambiente, com efeitos significativos na saúde da população. Portanto, será de suma importância a contribuição da Suzano na elaboração nos projetos de engenharia e estudos ambientais.” destacou Rosa Arruda, secretária de Meio Ambiente.

Na construção do aterro serão investidos R$ 22 milhões, através de convênio entre Prefeitura de Imperatriz, Ministério do Meio Ambiente e Caixa Econômica Federal. Valor será aplicado na compra do terreno, construção do aterro e recuperação do lixão. A Fazenda Nossa Senhora Aparecida, 76,8874 hectares, Rodovia Belém-Brasília, quilômetro 4, altura do povoado Lagoa Verde, foi a área selecionada, após estudos de permeabilidade de solo.

Em dezembro do ano passado a secretária de Meio Ambiente, Rosa Arruda Coelho, o assessor de projetos especiais da Semmarh, Allison Daniel Fernandes, e Flávio Henrique Cardoso Matos, chefe de Representação Institucional da Prefeitura em Brasília, reuniram-se com a gerência de relações institucionais da Caixa Econômica para tratar da aquisição da área.

Preservação

Apaixone-se por Imperatriz