Meio Ambiente

MEIO AMBIENTE

Semmarh participa de oficinas de indicadores e tipologias de Áreas Verdes Urbanas

Encontro foi realizado no Serviço Florestal Brasileiro, em Brasília

Publicado em: 03/12/2019 por Léo Costa

Secretaria do Meio Ambiente

Semmarh participa de oficinas de indicadores e tipologias de Áreas Verdes Urbanas

Representantes dos 53 municípios selecionados pelo Ministério do Meio Ambiente (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de definir as tipologias de áreas verdes urbanas e a construção de indicadores para suas gestões, a Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semmarh, participou de oficinas promovidas pelo Ministério do Meio Ambiente, em Brasília. Encontro ocorreu no Serviço Florestal Brasileiro.

Dos 5.570 municípios que compõem o território brasileiro, apenas 53 foram selecionados pelo Ministério do Meio Ambiente para participar da oficina, dentre eles Imperatriz. “Para nós é uma honra participar das oficinas promovidas pelo Ministério do Meio Ambiente para se discutir sobre a consolidação de diretrizes nacionais para gestão de áreas verdes urbanas. Auxiliar o ministério na construção dessas diretrizes e no planejamento das áreas verdes no âmbito nacional é muito importante e mostra que estamos no caminho certo”, destacou a secretária da Semmarh, Rosa Arruda.

A agenda de gestão de áreas verdes urbanas é atualmente um dos temas prioritários da Secretaria de Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente. A intenção é alcançar uma referência nacional das diferentes áreas verdes urbanas no Brasil, conforme as características socioambientais.

No evento Imperatriz foi representada pelo engenheiro agrônomo, Léo Vieira Leonel, analista ambiental da Secretaria do Meio Ambiente. “Foi uma oportunidade para troca de experiências e aprender ainda mais neste encontro que envolveu técnicos, gestores e especialistas de diversas partes do país. Com isso, as diretrizes definidas em Brasília nortearão os municípios de uma forma mais eficaz na gestão de suas áreas verdes urbanas”, enfatizou Léo Vieira.

Durante a programação os municípios, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, e Caixa Econômica Federal, CEF, também discutiram sobre a formulação das principais tipologias, como exemplos, praça, parque, jardim, florestal, horto, áreas protegidas e canteiro serão consideradas na formulação de um Aplicativo, APP, que será chamado de Cadastro Ambiental Urbano, CAU.

O aplicativo visa levantar as áreas verdes urbanas existentes e ao mesmo tempo, proporcionar ao gestor municipal a tomada de decisão em relação aos locais que necessita de maior investimento, seja na área de segurança, infraestrutura, assim, contribuindo para o lazer da população.

O cidadão também terá acesso ao Aplicativo, neste caso, terá todas as informações disponíveis na palma da mão sobre as principais áreas verdes urbanas e o que elas proporcionam de lazer, tais como, pista para caminhada, banheiros, academias, bebedouro, trilhas, porcentagem de cobertura vegetal e impermeabilidade do solo. Enfim, o objetivo do APP é facilitar a vida do gestor municipal e passar informações fidedignas ao cidadão, dando a ele as melhores opções de lazer ao ar livre da cidade.

A Secretaria do Meio Ambiente também participou da primeira etapa das oficinas, que ocorreu nos dias 11 e 12 de setembro, na Escola Nacional de Administração Pública, ENAP, em Brasília.

Meio Ambiente

Apaixone-se por Imperatriz