Notícias

PREVENÇÃO

Campanha Dezembro Laranja alerta idosos sobre a câncer de pele

Os usuários da Casa de Idoso Feliz receberam orientações e 300 protetores solares foram distribuídos entre eles

Publicado em: 02/12/2019 por Sara Batalha

Campanha Dezembro Laranja alerta idosos sobre a câncer de pele

Os idosos participaram atentos das palestras das médicas. (Foto: Edmara Silva e Sara Batalha)

Dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia dão conta que o câncer de pele corresponde a 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer, INCA, registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. Com foco na prevenção, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Sedes, por meio da Casa do Idoso Feliz, realizou nesta segunda-feira, 02, uma abordagem sobre o câncer de pele. Orientações e esclarecimento de dúvidas foram direcionados pelas dermatologistas Rosana Leão e Luciane Mota.

Entre as atividades desenvolvidas, os idosos contaram com: orientações, um tira dúvidas com perguntas do público e respostas das médicas, sorteio de brides e entrega de 300 protetores solares aos idosos, doados por meio das dermatologistas, que compõem o Núcleo de Dermatologia de Imperatriz, NUDI.

Para a secretária da Sedes, Janaína Ramos, “este momento vem para conscientizar acerca da prevenção do câncer de pele, e da importância do uso do protetor solar. Nós moramos em uma região quente, o que reforça a necessidade de cuidados. E, a Sedes busca a valorização do idoso em todos os aspectos, inclusive na saúde”, disse.

A médica dermatologista Luciane Mota alertou que é preciso “sempre observar sinais na pele: uma mancha escura, um sinal que coça ou sangra, um sinal acastanhado e/ou com mais de uma cor, entre outros. Algumas manchas tem a ver com o sol, outras têm o fator genético e é preciso observar. Claro que, nem toda mancha ou sinal é, em si, um câncer de pele, mas é recomendável ficar atento a alterações”, reforçou Luciane.

Quem já passou por um caso consigo ou na família, sabe da importância de observar alterações da pele. A coordenadora da Casa do Idoso Feliz, Alessandra Nobre conta que a própria mãe foi diagnosticada com este problema.

Ela disse que: “Minha mãe mesmo passou por isso. Ela tinha uma feridinha no braço que não sarava, levei ela ao médico e lá ele diagnosticou que se tratava de um tipo de câncer de pele. Ela se tratou, removeu e ficou tudo bem, graças a Deus. Então trazer essas informações para os idosos é de extrema relevância. Temos aqui, alguns casos de usuários que apresentaram a doença e estão em acompanhamento. E trazer essas informações para os idosos é de extrema relevância, para que eles redobrem os cuidados, e repliquem as informações com os amigos, vizinhos e onde forem”, enfatizou. 

Maria Rosa Conceição, 71, é frequentadora da Casa do Idoso Feliz há 18 anos. Ela conta que trabalhou por muito tempo na roça, debaixo de sol forte,  mas assume que não tinha e nem tem o hábito de usar o protetor solar, porque acha caro. “Não vou mentir, não tenho o hábito. Eu já usei esporadicamente, só pra ir à praia. Mas é caro demais o protetor solar, não tenho condição de comprar, mas quem puder comprar, deve usar!”, disse a aposentada. Dona Maria mostrou um sinal que tem na pele do braço, e contou também que faz tratamento com dermatologista, mesmo assim, afirma não ter como comprar o protetor.

Dezembro Laranja

Campanha é divulgada em todo o Brasil por diversos órgãos públicos e privados. O objetivo é alertar a população a cuidar-se e prevenir o câncer de pele. A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda: evite exposição ao sol entre 10h e 16h, se hidrate adequadamente, use camisetas, chapéu ou boné, não esqueça de usar os óculos de sol com proteção UV, aplique o protetor solar diariamente.

Notícias

Apaixone-se por Imperatriz