Agricultura

ABASTECIMENTO

Riacho do Meio é contemplado com água potável após 60 anos

Iniciativa beneficiará mais de 57 famílias

Publicado em: 13/01/2020 por Kalyne Cunha

Secretaria de Agricultura

Riacho do Meio é contemplado com água potável após 60 anos

Gestão prioriza bem estar da população da zona rural (Foto: Patrícia Araújo)

Pela primeira vez a comunidade da zona rural de Imperatriz, povoado Riacho do Meio, tem água potável para consumo. Iniciativa contempla 57 famílias com abastecimento do poço artesiano. A obra realizada pela Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Produção – Seaap, é um marco na história do povoado, que desde a sua existência, há mais de 60 anos, sofria pela falta d’água na região.

A solenidade de entrega da obra foi realizada no sábado, 11, e contou com a participação de autoridades locais, representantes da Câmara de Vereadores de Imperatriz, membros da comunidade e da Associação de Moradores.

O prefeito Assis Ramos destacou a importância de levar serviços básicos para todas as áreas da cidade, inclusive a zona rural, que faz parte de 5% da população total do município. “Vim na pré-campanha de 2016 e firmamos esse compromisso e hoje cumprimos a nossa promessa. As pessoas que moram aqui ou que passam o final de semana de lazer merecem água potável, pois é um direito de todos. Estamos investindo nas benfeitorias, no bem-estar das pessoas. Onde há imperatrizenses, existem pessoas que precisam da ação do poder público”, destacou.

O adjunto da Seaap, Marco Alan, não conteve a satisfação de entregar mais uma obra para uma comunidade nunca antes assistida por outra gestão. “Estamos muito felizes, porque aqui é um compromisso do prefeito Assis Ramos e hoje estamos realizando um sonho dessa comunidade. O que alegra o nosso coração é saber que o nosso prefeito não é só um político, mas é também humano”.  O secretário continua apresentando obras e alguns poços que estão com construção em andamento. "Na zona rural, temos um poço a finalizar em Matança, Vila São João e vamos continuar trabalhando nessa empreitada”.

Para a presidente da Associação de Moradores da comunidade Riacho do Meio, Claudiane de Alencar Fernandes, “isso que está acontecendo foi um compromisso firmado conosco. Nós sempre acreditamos no que o prefeito tinha dito quando ele se comprometeu com essa comunidade”. 

A presidente aproveitou a oportunidade para lembrar de nomes que lutaram pelo benefício da água e morreram sem contemplar o que se concretizava diante dos seus olhos. Emocionada, Claudiane não conteve as lágrimas. “ Hoje é um momento muito importante e que vai ficar marcado na vida de cada um de nós. Temos travado uma luta muito árdua para conquistar esses benefícios que são tão merecido e vitais para a população. A nossa comunidade pode acreditar outra vez e ter mais esperança, pois teve alguém que olhou para nós e se compadeceu da nossa comunidade. Quero agradecer em nome da comunidade, no fundo do meu coração, pela vida e pela administração do prefeito Assis Ramos”.

Um dos contemplados com a construção do poço artesiano é o advogado, Elder Lucena, que explica de que forma a obra da Prefeitura irá o auxiliar, já que em sua propriedade já possuiu um poço semiartesiano. “Esse poço, feito pela Prefeitura, é mais profundo, com água de boa qualidade e não vai secar, como acontece nos arredores. No meu caso, o poço me ajudará da seguinte forma, como é uma água de mais qualidade do que a minha vamos usar para o consumo, a água do meu poço vai ficar para a irrigação de plantas e consumo animal.  A água que vai ser consumida será a água que foi cavada por essa gestão. Sempre tivemos essa demanda de água boa e de qualidade, que hoje graças à Deus chega até nós”.

Com 450 metros de profundidade e 15 mil litros de água por hora, o poço que geralmente é concluído em 15 dias, demorou um pouco mais, por conta do solo do local que apresentou rochas bastantes resistentes ao maquinário, como explica o operador de perfuratriz, Carlos Ribeiro, responsável pela perfuração do poço.

“Demoramos a perfurar esse poço, por conta da rocha que era dura e tivemos que trocar os equipamentos. Geralmente o poço é concluído em 15 dias, mas nesse trabalhamos durante 60 dias até a sua conclusão”.

Prefeitura já administra cerca de 27 poços artesianos distribuídos nas zonas rual e urbana, entre eles bairros e povoados como: Açaizal dos Pernambucanos, Água Boa, Altamira, Bom Jesus, Cacauzinho, Camaçari, Centro Novo, Coquelândia, KM 1700, Laboa Verde, Lagoinha, Nova Bacaba, Olho D'água do Martins, Petrolina, Residencial Dom Felipe Gregory, São Félix, Vila Chico do Rádio, Vilas Davi, Conceição I e II, Matança, Recanto Universitário, entre outros.

Agricultura

Apaixone-se por Imperatriz