Blog

Nossa Memória

Ruas revelam momentos da história

Publicado em: 10/04/2017 por William Castro

Ferreira Gullar diz que “a história humana não se desenrola apenas nos campos de batalhas e nos gabinetes presidenciais. Ela se desenrola também nos quintais, entre plantas e galinhas, nas ruas de subúrbios...”.

Assim fundamenta-se a história de Imperatriz, no silêncio das ruas. Grandes personagens foram homenageados nas avenidas Frei Manoel Procópio, Bernardo Sayão e nas ruas Coriolano Milhomem, Coronel Manoel Bandeira, Fortunato Bandeira, Simplício Moreira e Antônio de Miranda, por exemplo.

Sobre os expoentes da história homenageados nas ruas, cabe revelar: Frei Manoel Procópio aportou uma navegação à margem direita do Rio Tocantins e fundou a cidade em 16 de julho de 1852. A rua que o homenageia já foi chamada de Rua Grande, Rua de Dentro e Rua 15 de Novembro. Em 2002, as ruas Teresa Cristina e 15 de novembro foram nomeadas a partir de um decreto: Avenida Frei Manoel Procópio.

Bernardo Sayão foi o engenheiro responsável pela construção da Rodovia Belém- Brasília, importante passo rumo ao crescimento, desenvolvimento e elo de ligação da cidade a todo o país. Sayão morreu em um acidente durante as obras da construção em 15 de janeiro de 1959, com 57 anos de idade.

Sobre a tragédia e a perda deste grande personagem, Juscelino Kubitschek afirmou na época: “Pela primeira vez na sua história, Brasília sustou a respiração, sentindo que lhe faltava ar nos pulmões. Havia tristeza e ansiedade. Respirava-se silêncio e consternação".

Nossa Memória

Apaixone-se por Imperatriz